Saiba mais sobre segurança digital para crianças e adolescentes.

Saiba mais sobre segurança digital para crianças e adolescentes.

Com o uso cada vez maior da internet por crianças e jovens, cresce o desafio da família em acompanhar e orientar seus filhos nesse processo.

Mesmo representando uma ótima ferramenta de aprendizagem, divertimento, interação e lazer, a internet também pode ser perigosa para as crianças e jovens.

Mas como a família pode orientar os filhos para uma utilização consciente e segura? Como realizar um monitoramento saudável dos acessos, evitando que estes tragam riscos para suas vidas?

Com o intuito de colaborar com você família, trouxemos algumas dicas para ajudá-los a compreender e lidar melhor com esse processo.

Continue sua leitura e confira algumas sugestões!

1. Converse com o seu filho e oriente sobre a privacidade

O mais importante é o diálogo. Nem sempre podemos acompanhar tão de perto o que os filhos estão fazendo no computador conforme eles vão ficando mais velhos.

Por isso, é importante manter uma relação de diálogo para que haja abertura para conversar sobre o tipo de comportamento e pessoas a serem evitados nas redes.

Além disso, na medida do possível, busque acompanhar os conteúdos que ele está acessando, sejam jogos, aplicativos variados ou, principalmente, redes sociais, que são locais onde ele pode interagir com outras pessoas, muitas vezes desconhecidas.

O Facebook é uma rede social muito acessada por crianças, pois, apesar de contar com termos de uso restritivos — só pessoas acima de treze anos de idade podem criar uma conta —, é bastante simples burlar esse mecanismo.

No entanto, é fato que não podemos adotar uma conduta alienante, proibindo o uso da internet por nossas crianças e jovens, mas é necessário nosso acompanhamento e orientação desses momentos mais de perto, como: não postar fotos, não revelar qualquer endereço e informação pessoal, entre outros.

De qualquer forma, esteja próximo de seu filho quando ele estiver navegando e tenha livre acesso para fiscalizar e averiguar para saber com quem ele está falando e o que está postando.

2. Utilize práticas que facilitem sua monitoração

Algumas práticas colaboram para que os pais consigam acompanhar mais de perto os acessos dos filhos à internet. Confira:

  • instale o computador em um local no qual seja possível verificar e monitorar suas atividades;
  • tenha acesso a todas as senhas de seu filho;
  • verifique com regularidade o histórico do computador;
  • Pergunte a ele quais são os ambientes/sites/rede social que ele mais gosta de acessar.
  • Veja também se ele já encontrou algum ambiente/site/rede social que não tenha o agradado? Descubra por que não.

3. Imponha limites quanto ao uso de dispositivos com acesso à internet

Apesar das crianças e jovens não gostarem, eles é importante estabelecer horários de uso da internet.

Essa medida colabora para que as crianças não exagerem na navegação, bem como contribui para que tenham mais tempo para outras atividades.

Vale ressaltar que algumas pesquisas que vem sendo desenvolvidas associam a exposição de crianças à tecnologia por muito tempo a um comportamento mais ansioso

É importante que, de preferência, os pais escolham as horas do dia nas quais estarão por perto e, assim, possam acompanhá-los com maior facilidade.

4. Oriente seu filho sobre algumas questões

Se encontrar algo suspeito em históricos ou buscas, oriente seu filho e fale claramente sobre os perigos a que ele está exposto com esse tipo de comportamento.

Se você conhecer histórias reais que tenham acontecido, você pode usá-las como exemplo para orientar.

Em relação à caixa postal, aconselhe-o a não abrir e-mails de remetentes desconhecidos, pois podem ser spam ou vírus.

Deixe claro para seu filho que, na internet, ele precisa também tomar cuidados com desconhecidos e com o que publica e acessa. As precauções devem ser bem grandes, tais quais ocorrem na vida real.

5. Instale filtros de conteúdos

Alguns filtros ajudam a proteger os filhos na internet, controlando seus acessos. Veja alguns deles:

  • Norton Family: o programa oferece ferramentas que protegem smartphones e tablets e faz monitoramento de controle de tempo, redes sociais, entre outros;
  • K9 Web Protection: é um filtro de monitoramento que permite aos pais bloquear sites, aplicar restrições de tempo e ainda configurar buscadores, forçando a “Safe Search”;
  • MetaCert: conta com ferramentas que protegem as crianças contra pornografia online;
  • Windows Live Proteção: possibilita a criação de vários usuários em um computador e gerenciar os acessos de cada um;
  • Zuggi: é um site de busca para crianças. Conta com um visual infantil e impede o acesso a conteúdos impróprios.

E você, o que achou deste post sobre como proteger os filhos na internet? São medidas que ajudam a permitir um uso saudável do computador e da internet, evitando exposição a perigos.

Compartilhe, então, essas sugestões nas suas redes sociais e ajude seus amigos com nossas dicas! Além disso, confira nosso e-book sobre o uso excessivo da tecnologia por crianças!

Fonte: escoladainteligencia.com.br

ler mais